A lisina é um aminoácido essencial, que o nosso corpo não consegue produzir. Dessa forma, precisamos obtê-lo através da dieta.

É importante para o crescimento e a renovação muscular. Também é usada para formar carnitina, uma substância encontrada na maioria das células do nosso organismo.

Além disso, ajuda a transportar as gorduras através do corpo para serem queimadas como energia.

L-lisina é a forma de lisina que seu corpo pode utilizar. É encontrada naturalmente nos alimentos e é o tipo usado em suplementos.

Veja os principais benefícios e quais as melhores fontes para ela.

1. Protege contra feridas

Feridas ou bolhas são sintomas de infecção, muitas vezes aparecendo no lábio ou nos cantos da boca.

Feridas ou bolhas são sintomas de infecção, muitas vezes aparecendo no lábio ou nos cantos da boca. Podem causar desconfortos, como formigamento, dor e queimação.

Além disso, podem fazer você se sentir incomodado sobre a sua aparência.

O herpes labial é causado pelo vírus herpes simplex tipo 1 (HSV-1), que se esconde na coluna.

Em momentos de estresse ou com o sistema imunológico enfraquecido, o HSV-1 pode desencadear o desenvolvimento de afta (1).

Suplementos de lisina podem ajudar a prevenir a replicação da doença e reduzir a duração da afta.

Acredita-se que o aminoácido bloqueia outro chamado arginina, que o HSV-1 precisa para se multiplicar (1, 2, 3).

Um estudo descobriu que um suplemento diário de 1.000 mg de lisina resultou em menos feridas em 26 pessoas que eram frequentemente propensas ao frio.

Curiosamente, o estudo observou a redução das lesões da afta quando a medida do aminoácido no sangue de uma pessoa foi mantida acima de 165 nmol / l.

Quando os níveis caíram abaixo dessa marca, os surtos de afta aumentaram (4).

Outro, realizado em 30 pessoas, descobriu que a aplicação de um creme com lisina, ervas, vitaminas e zinco eliminou o frio em 40% das pessoas no terceiro dia e em 87% no sexto dia.

Embora este estudo seja promissor, não indicou a quantidade de lisina ou outros ingredientes usados ​​no creme (1).

Além disso, nem todos os estudos mostram que o aminoácido é eficaz na redução da ocorrência ou duração do afta.

Uma revisão encontrou evidências insuficientes para recomendar o tratamento do herpes labial (5).

2. Reduz a ansiedade

A lisina pode desempenhar um papel importante na redução da ansiedade.

Um estudo descobriu que ela bloqueou os receptores envolvidos na resposta ao estresse.

Pesquisadores observaram que ratos que receberam o aminoácido tiveram taxas reduzidas de evacuações soltas induzidas pela condição (6).

Um estudo de uma semana em 50 pessoas saudáveis ​​observou que a suplementação com 2,64 gramas de lisina e arginina reduziu a ansiedade induzida pelo estresse e também os níveis de cortisol (7).

Da mesma forma, a adição de 4,2 gramas do aminoácido por quilograma de farinha de trigo em aldeias carentes na Síria ajudou a reduzir os escores de ansiedade em homens com níveis muito altos (8).

A lisina também pode ajudar pessoas com esquizofrenia, um distúrbio mental que perturba a percepção individual do mundo externo, muitas vezes resultando na incapacidade de compreender a realidade.

Embora a pesquisa ainda esteja em seus estágios iniciais, a lisina pode ter o potencial de melhorar os sintomas da doença em combinação com a medicação prescrita (9, 10).

3. Melhora a absorção e a retenção de cálcio

Acredita-se que a lisina aumenta a absorção de cálcio no intestino e ajuda os rins a se apegarem ao mineral (11, 12, 13, 14).

Um estudo em 30 mulheres, 15 saudáveis ​​e 15 com osteoporose, descobriu que a suplementação com o nutriente e o aminoácido reduz a perda de cálcio na urina.

As mulheres que receberam apenas 3 gramas do nutriente tiveram um aumento progressivo dele na urina.

No entanto, as mulheres que também receberam 400 mg de lisina perderam menos cálcio também pela micção (14).

O aminoácido parece proteger os ossos e também desempenhar um papel no controle de cálcio que é transportado pelo corpo.

Por exemplo, mostrou-se impedir o acúmulo do nutriente nos vasos sanguíneos em ratos. Esse tipo de acúmulo é um fator de risco para doenças cardíacas (13).

Além disso, um estudo de tubo de ensaio descobriu que as células que foram cultivadas sem lisina tiveram um aumento do movimento de cálcio para fora da célula.

Esse aumento não ocorreu nas células que apresentavam o aminoácido presente (11).

4. Promove a cicatrização

No tecido animal, a lisina torna-se mais ativa no local da ferida e ajuda a acelerar o processo de reparo (15).

O aminoácido é necessário para a formação de colágeno, uma proteína que atua como arcabouço e auxilia na sustentação e estruturação da pele e ossos (16).

Ela pode também atuar como um agente de ligação, aumentando assim o número de novas células numa ferida. Pode até promover a formação de novos vasos sanguíneos (17).

Em um estudo com animais, uma combinação de lisina e aminoácido arginina foi capaz de acelerar e melhorar o processo de cicatrização de fraturas (18).

Em outro estudo em 40 coelhos, verificou-se que 47 mg por kg de peso corporal da primeira e 50 mg por kg de peso da segunda melhorou significativamente o fluxo sanguíneo e a cicatrização óssea global .

De fato, coelhos que receberam os dois aminoácidos tiveram um tempo de recuperação reduzido em 2 semanas comparado ao grupo controle (12).

A cicatrização de feridas é um processo complexo que requer diferentes minerais, vitaminas e outros fatores.

A lisina parece ter um papel importante e, sem ela, a cicatrização de feridas é prejudicada (19).

Até o momento, os estudos analisaram apenas suplementos orais e não se sabe se aplicá-la diretamente em feridas poderia ser eficaz.

No entanto, um estudo descobriu que a aplicação de um gel contendo lisina a uma ferida de úlcera resultou em redução da infecção e tempo de recuperação mais rápido do que quando nenhum gel foi usado (20).

Outros benefícios potenciais

A lisina - como todos os aminoácidos - é usada como um bloco de construção de proteínas em nosso corpo.

A lisina – como todos os aminoácidos – é usada como um bloco de construção de proteínas em nosso corpo.

Essas proteínas ajudam a produzir hormônios, células do sistema imunológico e enzimas. A lisina pode ter vários benefícios além daqueles que citamos acima.

Aqui estão outras áreas onde o aminoácido pode beneficiar sua saúde:

  • Câncer: Um estudo em animais descobriu que a lisina em combinação com a catequina antioxidante reduziu o crescimento de células cancerígenas em camundongos (21).
  • Saúde dos olhos: Um outro, realizado em ratos com diabetes descobriu que suplementos da substância poderiam prevenir o desenvolvimento de catarata (22).
  • Diabetes: Um estudo mostrou que a lisina pode ajudar a reduzir a resposta ao açúcar no sangue em pessoas com diabetes. No entanto, a conexão ainda não está clara (23).
  • Pressão arterial: Um outro, realizado em 50 adultos com deficiência do aminoácido e pressão arterial elevada descobriu que os suplementos reduziram significativamente essa condição (24)

A lisina é essencial para manter a saúde em dia e os suplementos podem beneficiar certas pessoas e condições.

Principais fontes de alimentos

A lisina é encontrada em alimentos que são naturalmente ricos em proteínas, particularmente carne e produtos lácteos, e também em quantidades menores em vegetais (25, 26).

Veja algumas das melhores fontes a seguir.

  • Carne: Carne vermelha, frango e cordeiro.
  • Frutos do mar: Mexilhões, camarões e ostras.
  • Peixe: Salmão, bacalhau e atum.
  • Laticínios: Leite, queijo e iogurte.
  • Legumes: Batata, pimentão e alho-poró.
  • Frutas: Abacate, damascos secos e peras.
  • Leguminosas: Soja, feijão e grão de bico.
  • Nozes e sementes: Macadâmia, sementes de abóbora e castanha de caju.

Cereais geralmente são uma fonte pobre. No entanto, a quinoa, o amaranto e o trigo sarraceno contém uma quantidade razoável (25).


A lisina é um aminoácido essencial com muitos benefícios que vão desde a prevenção da herpes labial até a redução da ansiedade e a promoção da cicatrização de feridas.

Como um bloco de construção de proteínas, também pode ter vários outros benefícios. Com a deficiência, seu corpo pode ser incapaz de produzir hormônios suficientes ou apropriados.

A lisina é encontrada em quantidades elevadas em carne, peixe e laticínios, mas leguminosas, frutas e legumes também contribuem para a sua ingestão.

Continue lendo:

O que é Nutrição e porque ela é importante?

Benefícios e Usos do Óleo de Rícino

Quanto devemos consumir de proteína por dia?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here