Muitas são as promessas de várias dietas para emagrecer rápido espalhadas pela internet, mas será que essas dietas são saudáveis?

É importante manter o equilíbrio nutricional e sempre dar prioridades aquelas que propõem a reeducação alimentar, sugerindo um novo estilo de vida.

O ideal é sempre prestar atenção aos limites do seu corpo e procurar um médico caso necessário.

Saiba mais sobre as dietas cetogênica, paleolíticadukan, low carb, e anti-inflamatória, as melhores opções para quem quer perder peso sem prejudicar a saúde.

Então vamos a lista de dietas para emagrecer

Dieta Cetogênica

Criada nos anos 20 e usada principalmente no tratamento de epilepsia, a dieta cetogênica voltou a se popularizar de uns anos para cá, dessa vez sendo usada para acelerar o processo de emagrecimento e também no tratamento adicional de doenças, como o câncer.

Ela propõe a redução da ingestão de carboidratos, riqueza no consumo de gorduras e aumento moderado na ingestão de proteínas.

Geralmente considerados a principal fonte de energia para o nosso corpo, já que por meio deles é obtida a glicose, os carboidratos são reduzidos drasticamente na dieta. Isso faz com que o nosso organismo busque energia de outras fontes, como a reserva de gordura presente no nosso corpo.

O principal benefício da dieta cetogênica é a rapidez com que acontece o emagrecimento. Com o nosso corpo em estado de cetose, queimando gordura para gerar energia, fica mais fácil perder peso, até mesmo aquela gordura abdominal.

Os alimentos permitidos no cardápio da dieta são principalmentes fonte de gordura e proteínas, como:

  • carne, peixes e ovos;
  • embutidos como presunto, linguiça e bacon;
  • molhos como maionese e mostarda;
  • amendoim, noz, avelã e castanha;
  • frutas, verduras e legumes;
  • azeite, óleos, manteiga e margarina;
  • sementes como linhaça, chia e girassol;
  • queijos, cremes de leite e iogurtes sem açúcar.

Deve-se consumir a mesma quantidade de frutas de uma dieta normal, sem elevar a quantidade. Ou seja, de 3 a 4 porções por dia.

Leia nosso guia completo sobre a dieta cetogênica.

via GIPHY

Dieta Dukan

Criada pelo médico nutricionista francês Pierre Dukan e famosa no mundo todo, a dieta Dukan é composta por 4 fases.

Ela promete a perda de peso em pouco tempo, aumentando a ingestão de proteínas e diminuindo a de carboidratos. O tempo total de duração do método varia de acordo com a quantidade de quilos que cada pessoa quer emagrecer.

As duas primeiras fases da dieta, ataque e cruzeiro, são as mais restritivas e tem como objetivo a perda de peso, enquanto as duas últimas, consolidação e estabilização, foram criadas para a estabilização do novo peso, já que a retomada do peso antigo é uma das maiores preocupações para quem faz dieta.

  • Na primeira fase, que tem duração de 2 a 7 dias, estão permitidos apenas alimentos ricos em proteína como carne de boi ou vitelo, ovos, peixes e aves em geral.
  • Na segunda, onde a duração é proporcional a quantidade de quilos a se perder, o foco da alimentação segue nas proteínas, porém agora deve-se intercalar com verduras, como tomate, pepino, nabo ou vagem.
  • Na terceira, que dura 10 dias para cada quilo perdido, além de proteínas e verduras, as frutas também estão permitidas (com algumas restrições).
  • A quarta fase é chamada estabilização porque deve ser considerada como seu novo estilo de vida, mantendo algumas restrições alimentares e as atividades físicas regulares.

Ficou interessado em ler mais sobre a dieta dukan? Confira o artigo completo onde falamos mais sobre ela.

Dieta Low Carb

Por volta de 50 anos atrás, o médico americano Robert Atkins ficou famoso por criar uma dieta baseada na ingestão de proteínas, gorduras boas e carboidratos leves.

Ela é usada como base para uma das dietas mais famosa do momento, a low carb.

Em 2017, segundo resultados apresentados pelo Google, ela foi a dieta mais buscada entre os brasileiros, obtendo um aumento de 986% em relação ao ano anterior.

Em uma alimentação regular, os carboidratos representam de 50 a 55% da dieta.

No método low carb, essa porcentagem diminui para 40 a 5%, dependendo do quanto se quer emagrecer e do tempo necessário para atingir essa meta.

É importante ressaltar que a redução extrema de carboidratos não é indicada por médicos e nutricionistas, podendo ser prejudicial a saúde.

A dieta recomenda que seja priorizado o consumo dos chamados carboidratos leves, já que nesse caso, o açúcar é absorvido de uma forma mais lenta, evitando picos de glicose e insulina no organismo.

Alimentos ricos em proteína são bem vindos na dieta, como:

  • Carnes como peixes, ovos, carne bovina, aves e laticínios.
  • Legumes e verduras com baixos índice de carboidratos como alface, cebola, alho poró, aipo, abobrinha, pepino, espinafre, estão permitidos.
  • Gorduras como azeite e abacate

Também estão liberadas bem como um seleto grupo de frutas, já que geralmente elas contam com muito carboidrato.

Para saber todos os detalhes sobre a dieta low carb, confira aqui o artigo que preparamos para você.

Dietas para emagrecer como a dieta Dukan

Dieta Anti-Inflamatória

A dieta anti-inflamatória ajuda a combater a inflamação do corpo, um processo natural que o ajuda a se curar e a se defender de agentes externos e internos, mas que infelizmente pode se auto-regular e se tornar uma inflamação crônica.

A inflamação crônica pode durar semanas, meses ou anos, muitas vezes causando vários problemas de saúde.

A notícia boa é que existem muitas atitudes que você pode tomar para reduzi-la, melhorando sua saúde geral.

Na dieta anti-inflamatória, você baseia sua alimentação em produtos integrais e ricos em nutrientes que contenham antioxidantes. Também é recomendado evitar produtos ultraprocessados.

Deve-se respeitar o equilíbrio saudável de proteínas, carboidratos e gordura em cada refeição. Certifique-se de que também atenda às necessidades do seu corpo de vitaminas, minerais, fibras e água.

A dieta recomenda a ingestão de alimentos como verduras e legumes (brócolis, couve, couve de bruxelas, repolho, couve-flor), frutas (como uvas e cerejas), gorduras saudáveis (azeite e óleo de coco), peixes gordos (salmão, sardinha, arenque, cavala e anchova), chocolate amargo (com 70% ou mais de cacau), especiarias (açafrão, feno-grego, canela), entre outros.

Para saber mais sobre os alimentos que diminuem a inflamação, clique aqui.

Dieta sem Glúten (Gluten Free)

Uma dieta sem glúten envolve a exclusão de todos os alimentos que contenham essa proteína, incluindo trigo, centeio e cevada.

No geral a grande maioria das pessoas pode comer glúten sem efeitos colaterais.

Entretanto existe 2 condições de saúde que estão relacionadas ao Glúten.

A primeira é a condição autoimune, onde o sistema imunológico reconhece a proteína glúten como um invasor no corpo. Essa condição é chamada de doença celíaca e é de origem genética.

A segunda condição é a sensibilidade ao glúten não-celíaca, nesse caso a pessoa não apresenta resultado positivo para doença celíaca, mas ainda tem muitas das reações da doença ao ingerir alimentos com glúten.

Estima-se que essas duas condições afetam de 1-13% da população mundial, sendo mais prevalente a incidência de sensibilidade ao glúten não-celíaco.

Caso você seja intolerante ao glúten, deve evitá-lo por completo.

Aqui você pode conferir o Guia Completo sobre a Dieta sem Glúten.

Continue lendo:

Low Carb: Guia Completo

O que são e para que server os Probióticos?

Qual a diferença entre Cetose e Cetoacidose?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here


Quer receber dicas sobre Nutrição? Marque aqui ;)